fbpx

in , , , , , , , ,

Cervo-do-pantanal nascido no Zoo de Sorocaba tem sucesso na reprodução da espécie em instituição de Itatiba

– 09/09/2021 – Compartilhe! Foto: Acervo/Zooparque Itatiba

Kadu, um exemplar macho de cervo-do-pantanal (Blastocerus dichotomus), que nasceu no Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros” em 2018, foi transferido em novembro do ano passado para o Zooparque de Itatiba (SP), com o intuito parear com a fêmea da mesma espécie, Lina. A ação foi um sucesso e o casal teve o seu primeiro filhote no início do mês de agosto deste ano. A espécie nativa da fauna brasileira é considerada ameaçada de extinção.

A transferência do exemplar macho do Zoo de Sorocaba atendeu à recomendação do Programa de Conservação ex situ para o cervo-do-pantanal, coordenado pela Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil (AZAB) em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). “Esse é um dos importantes trabalhos desenvolvidos em nosso zoo, que é o da conservação de espécies da fauna brasileira ameaçadas de extinção”, explica o secretário do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Sema), Antonio Prieto.

O “Quinzinho de Barros”, assim como outras instituições brasileiras semelhantes, recebe animais de três maneiras: por meio de resgate e apreensões realizados pela Polícia Ambiental ou pelo Corpo de Bombeiros; por meio de nascimentos na própria instituição ou, ainda, provenientes de transferências entre zoológicos.

Eventualmente, eles podem ser reintroduzidos na natureza. Em 2019, por exemplo, a Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade realizou o processo de reintrodução de um casal de antas, que nasceu no Zoo de Sorocaba, em uma reserva ambiental da Mata Atlântica, no Rio de Janeiro. O processo, denominado Refaunação, tem como objetivo a reintrodução da espécie na floresta nativa e sua preservação no ecossistema.

Considerado o maior cervídeo da América Latina, o cervo-do-pantanal está ameaçado de extinção devido à caça predatória e à destruição de seu habitat. Atualmente, a espécie é encontrada apenas nos estados do Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia, Tocantins, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul, além de países, como Argentina, Bolívia, Paraguai e Peru.

Fêmea de muriqui foi transferida para o Zoo de São Paulo

Júlia, uma das fêmeas de muriqui-do-sul (Brachyteles arachnoides) do “Quinzinho de Barros”, foi outro animal a participar dessa ação de transferência de animais entre zoológicos. Ela foi levada, no dia 24 de agosto, para o Zoológico de São Paulo, atendendo à recomendação do Programa de Conservação ex situ para o muriqui-do-sul, com o objetivo de promover o pareamento com o exemplar macho da mesma espécie, que habita a instituição da capital paulista.

Considerado o maior primata das Américas, o muriqui-do-sul também é conhecido como mono-carvoeiro e só existe na Floresta Atlântica do Brasil. Trata-se de uma das espécies de macaco mais ameaçada de extinção do mundo, com uma população de 1.300 indivíduos, de acordo com a IUCN (International Union for Conservation of Nature). A destruição do habitat natural, a baixa taxa de reprodução da espécie e a caça são responsáveis pelo quase desaparecimento do muriqui na natureza.

O biólogo Marcos Tokuda conta que, no mundo, apenas três zoológicos têm muriqui-do-sul em seu plantel: o de Sorocaba, São Paulo e Curitiba. Júlia nasceu no zoo sorocabano em 2014 e já era considerada uma fêmea adulta.

Para esse trabalho de conservação, coordenado pelo ICMBio, o Zoológico de Sorocaba é responsável pelo studbook do muriqui-do-sul, um livro de registros genealógicos, que concentra informações diversas do animal, como, por exemplo, quais são os zoológicos que abrigam a espécie, além da quantidade de machos e de fêmeas, idade e parentesco de cada indivíduo.

“Esse livro de registros genealógicos do muriqui-do-sul contém informações essenciais que garantem a continuidade de espécie para a sua reprodução com vida saudável. É como se fosse uma árvore genealógica do animal. A partir desse documento, nós conseguimos identificar os indivíduos mais adequados do ponto de vista genético e propor a formação de casais para gerar filhotes saudáveis em termos genético e comportamental”, explica Marcos Tokuda.

Administrado pela Sema, o “Quinzinho de Barros” é considerado um dos mais completos zoológicos da América Latina, classificado pelo Ibama na categoria A, que é a mais elevada. Além da conservação, o parque desempenha um importante trabalho de pesquisa, bem-estar animal, educação ambiental e lazer, que são as cinco funções de um zoológico moderno.

O Zoológico Municipal está localizado na Rua Theodoro Kaisel, 883, na Vila Hortência. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (15) 3227-5454.

O que você achou?

Escrito por CidadeSorocaba

Volta ao mercado de trabalho: regressão na carreira pode ser alternativa

BC discute segurança e transação offline do real digital

Back to Top
Close

Log In

Forgot password?

Forgot password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

To use social login you have to agree with the storage and handling of your data by this website.

Add to Collection

No Collections

Here you'll find all collections you've created before.