in , , , , , , , ,

Produtos a granel: prático, barato e seguro?

Especialista fala sobre os cuidados necessários na disposição e manuseio desses alimentos

 

07/10/2021 – Compartilhe! Fotos: Júlio Salvo

A professora Silvia de Almeida é fã de carteirinha dos produtos a granel. Além dela conseguir levar exatamente a quantia que deseja, sai mais barato do que comprar as embalagens fechadas. “Costumo comprar sucrilhos sem açúcar, frutas secas, grãos, como gergelim e linhaça, porque são ingredientes que saciam a fome. Compro também pipoca. Prefiro a granel devido ao preço e, também, porque posso fracionar a quantidade da maneira que mais me agrada”, explica.

O preço não é o único fator que Silvia observa. Ela afirma, ainda, que quando o insumo é ofertado a granel, ela consegue analisar exatamente como está a qualidade dele antes da compra. “Na hora da compra dos produtos a granel, apesar de adquirir sempre no mesmo lugar, procuro ver como as mercadorias são acondicionadas e manuseadas, se elas estão com aspectos desejáveis e ainda peço para experimentar também”, pontua.

Quanto a praticidade e o preço baixo, os produtos a granel são os queridinhos para quem gosta de economia; mas em relação a segurança, principalmente durante a pandemia de Covid-19, será que podemos dizer o mesmo? De acordo com Solange Cassar, nutricionista especialista em segurança alimentar e diretora da Normalize Nutrição, independente da existência do Coronavírus, ou não, é importante ressaltar que uma falha no processo de boas práticas pode resultar em uma contaminação, seja por Covid-19 ou por qualquer outra doença. “A contaminação física é um dos riscos presentes nos produtos a granel. Por se tratar de produtos não embalados, há maiores riscos de contaminação física, que ocorre quando há, nos alimentos, a presença de partículas estranhas e visíveis a olho nu, como cabelo, unhas e outros contaminantes. Há, também, a contaminação biológica, que ocorre quando há a transferência de contaminantes de um determinado local para outro, como, por exemplo, mãos sujas para o alimento”, explica.

Quando falamos em produtos a granel, existe a venda fracionada do alimento, ou seja, ele será manipulado, e a recomendação é que isso seja feito por alguém treinado e capacitado. “Nem sempre a população que está ali comprando e ‘pegando’ nos alimentos sabe a maneira correta de como fazer isso, por essa razão, a orientação é que os itens vendidos a granel sejam servidos pelos funcionários dos estabelecimentos, para garantir um menor risco ao consumidor”, ressalta Solange.

De maneira geral, os produtos precisam estar armazenados de acordo com o que cada produto exige para sua conservação, ou seja, alguns em local seco e fresco, outros sob temperatura controlada. “É importante que todos estejam protegidos, sem estar expostos às contaminações. Ao fechamento do supermercado, esses produtos devem estar sempre bem fechados e devem ser armazenados de acordo com a natureza de cada um”, reforça Solange. Ela ainda completa. “Por isso, a orientação de profissionais de segurança alimentar, que vão instruir a equipe sobre como agir para garantir produtos sem riscos de contaminação, é muito necessária e importante quando o assunto é alimentação”.

Por tanto, para garantir a segurança e a satisfação dos clientes, os supermercados e comércios devem seguir alguns passos simples voltados para o armazenamento e o manuseio dos produtos a granel. Dessa forma, assim como Silvia, muitos consumidores adeptos a eles continuarão levando para a casa o ideal que cada receita ou dieta necessita, sem prejudicar a saúde.

O que você achou?

Escrito por CidadeSorocaba

Biblioteca Municipal tem contação de histórias e troca de gibis e livros infantis nesta sexta-feira (8)

Outubro Rosa: mês de conscientização ao câncer de mama também chama atenção para a doença em felinos