in , ,

Saiba a importância da micro e pequena empresa no Brasil

 

O Brasil é um país de empreendedores. Muitos brasileiros têm ideias de novos negócios e as concretizam sob a forma de micro e pequenas empresas.

Aproveitando as vantagens que o setor proporciona. Como a desburocratização administrativa e jurídica, simplificação nos tributos (sobretudo com o enquadramento no SIMPLES – Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições de Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte) e acessos facilitados a determinadas linhas de crédito (graças ao apoio de entidades oficiais, como Sebrae e BNDES, por exemplo).

Muita gente acha que são apenas as empresas grandes ou multinacionais que fazem a economia ir para frente. Mas não é bem assim. Você gostaria de saber como essas empresas de menor porte entram nesse bolo? Confira a seguir!

Boa participação no mercado e geração de empregos

Ao contrário do que muitos pensam, as micro e pequenas empresas têm sim um papel fundamental para promover o crescimento econômico do país. Em primeiro lugar, esses negócios ajudam a criar empregos e renda para a população, sendo uma das principais causas da redução das desigualdades sociais. Segundo dados recentes do IBGE, as empresas de pequeno porte representam 20% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e são responsáveis por pelo menos 60% dos quase 100 milhões de empregos no país.

Mais flexibilidade e grande abrangência

A capilaridade dos pequenos negócios e a necessidade de gerar mais dinâmica à economia faz com que eles estejam presentes desde os pequenos municípios até os diversos bairros das grandes metrópoles. O que permite uma enorme abrangência para o segmento.

Justamente por isso, é capaz de absorver a mão de obra mais facilmente, inclusive aqueles profissionais e trabalhadores que o mercado embaraça a recolocação: Como as pessoas que têm mais de 40 ou 50 anos, ou aqueles que ainda são inexperientes e têm dificuldade para conseguir o primeiro emprego, como os que têm formação parcialmente completa ou os recém-formados em áreas mais técnicas e graduações.

Essa enorme capacidade de empregar e sua desconcentração geográfica fazem com que as micro e pequenas empresas cheguem a 99% dos 6 milhões de estabelecimentos formais existentes no país.

Mais resistência às mudanças críticas

Como as micro e pequenas empresas lidam com menor quantidade de trabalhadores, detêm certas facilidades de crédito e no campo tributário, elas conseguem resistir melhor às crises econômicas eventuais. Esses negócios são montados para refletir um crescimento de longo prazo, e os seus donos ou gestores costumam ser muito mais obstinados a conservar o empreendimento.

 

Mais créditos e aumento nas exportações brasileiras

Além dos fatores acima, os pequenos negócios ajudam a movimentar o setor de créditos e empréstimos bancários, aproveitando os serviços financeiros do Sebrae, que é um serviço social autônomo sem fins lucrativos, mas também utilizando os serviços da rede bancária privada.

Outro setor comercial que se expande com a ação desses negócios é a exportação, cujas vendas ultimamente têm subido a taxas superiores a 20% ao ano para a área. Nesse caso, os principais produtos são os manufaturados e industriais de menor custo, especialmente para os mercados dos EUA e Canadá.

Os pequenos negócios, como é fácil constatar, têm papel de destaque quando se fala sobre crescimento econômico, já que respondem por boa parte da geração de empregos no país e contribuem para um grande percentual do PIB brasileiro. Além de sustentar a economia nos momentos de crise, agregam valor aos produtos e serviços em que as suas atividades estão envolvidas.

Conclusão

Portanto as micro e pequenas empresas são importantíssimas para o crescimento econômico do Brasil, a medida em que aumentam consideravelmente a geração de empregos no país, já que estas empresas são responsáveis por 60% dos quase 100 milhões de empregos existentes no país.

Gerando empregos, as micro e pequenas empresas ajudam a reduzir as desigualdades sociais e acabam proporcionando oportunidades para pessoas que tem dificuldades em ingressar ou retornar ao mercado de trabalho.

Além da geração altíssima geração de empregos, outro dado que corrobora a contribuição destas empresas emergentes para a economia nacional é em relação ao PIB (Produto Interno Bruto Brasileiro), que tem 20% representado pelas micro e pequenas empresas.

Exemplo disso são profissionais com mais de 40 ou 50 anos e buscam se recolocar no mercado, pessoas ainda sem tanta experiência e tem dificuldades para conseguir um primeiro emprego, pessoas com formação incompleta ou recém formados, que também possuem dificuldades em ingressar definitivamente no mercado…

Em meio a esta dificuldade e alta exigência do mercado, as micro e pequenas empresas acabam aparecendo como uma alternativa diferencial, sobretudo para os perfis mencionados acima.

É interessante saber que, conforme os indicadores do governo brasileiro, o faturamento dessas empresas vem crescendo acima do ritmo médio da economia do país.

O que você achou?

Escrito por CidadeSorocaba

Ferrugem e Turma do Pagode se apresentam juntos em Sorocaba

Rappi inova e lança espaços de convivência e descanso para entregadores